7 efeitos do álcool

Dizemos sempre que sim a uma saída à noite e nunca recusamos mais um copo, mas será que sabes de que forma é que o álcool atua no teu cérebro? Eis os 7 efeitos comuns: Quereremos sempre mais um copo O álcool aumenta a produção da dopamina que é a hormona responsável pelo bem estar e a precursora natural da adrenalina. É por isto que não recusas mais um copo. Sabe-nos bem Normalmente as bebidas que contêm mais açúcares são as mais desejadas. O nosso consumo é influenciado pelo etanol, uma vez que ativa partes do cérebro por via dos sabores doces. As pessoas que gostam mais de açúcar tendem mais a tornarem-se viciadas em álcool. Aquece-nos O álcool dá a sensação que aquece, uma vez que os termorreceptores localizados na pele detetam um aumento de temperatura. No entanto, o álcool diminui a temperatura corporal, ainda que nos sintamos quentes por fora estamos a esfriar por dentro. Faz-nos sentir melhor Um grande consumo de álcool pode aumentar a produção de várias hormonas do stress. No entanto, a reação do “stress” interage com os efeitos da dopamina, podendo ser prazeroso. Torna-nos mais desinibidos O consumo de álcool diminui o controlo na parte do cérebro associada à tomada de decisões e ao comportamento social. O que nos leva à perda de auto-controlo e aumento da sociabilidade. Alivia a dor Os sinais da dor são detetados pelos neurónios sensoriais, que passam a informação ao cérebro. Estes sinais podem ser neutralizados pelo álcool, dando a sensação que não sentimos dor. Ajuda a dormir O álcool pode ajudar a adormecer, mas não te faz dormir melhor. Durante o sono passamos por vários ciclos. Cada ciclo é constituído por cinco fases: estágio 1, 2, 3, 4 e REM. O REM ("movimento rápido dos olhos") é importante para o desenvolvimento de processos cognitivos, como a consolidação da memória, por isso, diminuir o tempo deste processo pode ter efeitos prejudiciais na memória, particularmente em memórias emocionais. O álcool pode afetar também a memória de longo prazo.